Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Fashion’ Category

É com muito prazer que hoje apresento a vocês os biquínis da marca MELT SWIM coleção 2011/12

Os biquínis são lindos de morrer, estampas exclusivas e uma modelagem incrível!!

Acredito e aposto muito na marca, e se vocês se interessarem por algum modelo entrem em contato comigo pelo blog ou pelo meu e-mail

giovanapolotto@gmail.com

Vou mostrar para vocês alguns modelos e estampas pra deixar vocês loucas e desesperadas!! rsrsrs

Para conhecer mais sobre a marca acessem o site aqui e para curtir a fan page no Facebook é só clicar aqui!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Read Full Post »

Que mulher que não gosta de acessórios? Pensando nisso, 3 amigas minhas se uniram e criaram a TIGGA (que significa 3 em indonésio, chic han?!), uma linha de acessórios incríveis!!!! De tirar o fôlego!!!! Uma peça mais linda que a outra, dá vontade de comprar TO-DAS, assim uma de cada, sabe?!

E como sei que vocês vão amar as peças montei alguns looks:

Se você também amou e quer todas, segue o contado da TIGGA: tigga.contato@hotmail.com

E isso é só um tira gosto, a TIGGA tem muitas coisas, anéis, brincos, colares e muitas pulseiras…

Read Full Post »

Estou viciada no aplicatico do Cool Huting é super dinâmico cheio de informações e curiosidades bem legais e diferentes!!  Vale a pena baixar no seu ipad!!

Read Full Post »

A informação está super atrasada – esse post é sobre uma reportagem da Super Interessante de março de 2008. Mas, calma que eu explico! Comprei uma camisa no outlet da Prada daquela coleção das ninfas, olhem que linda!  

E a coleção tinha um vídeo maravilhoso, lembram?

Esse vídeo conta a história da ninfa, que também aparece na reportagem, que fala sobre flores e é super interessante. Então vamos lá!

Em mais de 7 mil anos de história, as flores conseguiram tornar-se ao mesmo tempo símbolo de Deus e sexo, amor e morte, paz e loucura. Nas religiões, estão nos ritos e tradições de quase todas as civilizações. Para a psiquiatria, a indiferença em relação a elas é um sintoma claro de depressão.

Rosas já eram cultivadas na Mesopotâmia, às margens do rio Tigre, por volta de 5mil a.C. O plantio do lírio surgiu depois, na ilha de Creta, em 1.850 a.C. Surgiram a tiracolo superstições a respeito da flor. No Japão medieval, o crisântemo era tido como teste de fertilidade – um homem dava um ramalhete à pretendente: se os botões não se abrissem, era sinal que a jovem era estéril.

Foi em Roma, no século 2 a.C., que as flores se tornaram uma mercadoria produzida em escala. Os romanos amavam tanto as rosas que a República chegou a criar um imposto sobre elas. Sidharta Gautama, o Buda, no século 5 a.C., dizia que a flor de lótus simbolizava o homem liberto das paixões, já que nasce, bela, em meio ao lodo. O lodo seria a condição humana e a flor a transcendência desse estado.

Já a rosa não teve uma carreira muito fácil na Europa da Idade Média – os primeiros cristãos viam nela um símbolo pagão greco-romano, uma lembrança das farras da elite romana. Curiosamente, a aceitação da rosa na vida cristã se deu com o crescente papel da Virgem Maria na religião, a partir do século 4. Mas a rosa só seria perfeitamente “cristianizada” pelo imperador Carlos Magno, no século 9 – mandou plantá-la em todo o território francês, e assim a rosa pegou no velho continente.

Em 1554, descobriu-se em Istambul, na Turquia, a flor que iria enlouquecer os europeus: a tulipa. Ela foi levada para o Jardim Botânico Imperial de Viena e acabou despertando a cobiça da Europa toda. Em 1593, uma considerável quantia de mudas de tulipa do Karl Clusius, o jardim austríaco, foi roubada por comerciantes da Holanda – e o fascínio holandês pelas tulipas começou. Entre 1634 e 1637, essas flores chegaram a valer tanto que muitos cidadãos holandeses hipotecaram suas casas e investiram sua poupança na compra de ações representando tulipas. Quando a “bolha da tulipa” estourou houve uma onda de suicídios no país.

Em 1818, apareceu em Paris o apimentado “La language des Fleurs”, escrito por Louise Cortambert. A apresentação do buquê era tão importante quando a escolha da flor presenteada – uma tulipa com o caule para cima demonstrava a rejeição do pretendente pela dama. Durante o reinado da rainha Vitória (1837-1901), o livro ajudou os ingleses a driblar a rígida moral vitoriana: impedidos de expressar seus sentimentos verbalmente, passaram a usar buquês como código.

Um obscuro filósofo do início do século 20, o nobre inglês chamado Lord Northbourne, observou em “O Simbolismo das Flores”, que a flor atrai a psique humana pela sua própria natureza: ela é um orgão sexual que depois de polinizado se transforma em fruto. Todo o conjunto da flor é exibido com despreocupação. A flor exemplifica a inocência, beleza e naturalidade da função sexual. Como a psicanálise já descobrira, as forças propulsoras do ser humano são o sexo e a morte. A flor, no seu ciclo de vida e fenecimento é o espelho perfeito disso.

ROSA – a flor do amor por excelência. Sua origem perde-se no tempo. Na mitologia  grega, ela é a metamorfose de uma ninfa encontrada morta. A magia de Clóris, deusa das  flores, foi responsável pela transformação. Mas o resultado não ficou perfeito – então  Afrodite, a divindade do amor, lhe deu beleza e cores, e Dionísio, o deus do vinho, o  perfume. Não tem tudo a ver com o Trembled Blossoms, da Prada??

 

 

Read Full Post »

Tô com frio na barriga até agora.

Olha o que aprontaram na Louis Vuitton da Bond st. em Londres:

É a vitrine mais linda-criativa-chique que eu já vi!

mamãe-avestruz...

...e seus filhotinhos!

A cada poucos dias mais um ovo se quebra, mostrando um novo sapato, bolsa ou relógio.

Demais, não é?

Read Full Post »

Iradj Moini

Continuando minhas pesquisas…

Amo as coisas desse cara!!!

Ele não usa ouro e nem todas as pedras são naturais.

Mas quem liga?? É tudo chiquérrimo!

Muito perua!

Sempre via suas coisas no site; quando entrei na loja e vi o tamanho real das suas peças, assustei.

Tudo mega exagerado, grande, colorido; quase demais. Ele para no limite.

Gostaria de ter mais coisas para escrever sobre o Iradj – mas tudo o que eu sei é que é iraniano, faz joias desde os anos 80 e trabalhou no início da carreira para Oscar de la Renta.

Quem estiver passeando em Nova York, não deixe de conhecer suas peças!

Iradj Moini – 198, Spring Street, SoHo.

Read Full Post »

A Deborah – minha amiga gatinha, lembram? – foi pra Nova York no mês passado e resolveu trazer umas roupinhas pra vender.

Fez tanto sucesso que lá está ela de novo. Semana que vem ela volta cheia de novidades!

Acessem seu blog – http://deborahmartini.wordpress.com/

A Dedeh mora em São Paulo, mas pra quem não estiver lá, ela manda pelo correio, viu?!

Comprei outro dia essa camisa lindíssima… e baratérrima!

Read Full Post »

Older Posts »